EXPERIÊNCIA COMUNITÁRIA

11ª REUNIÃO - MOTIVAÇÃO: "PARA VOCÊ, QUEM É ESSE HOMEM DE NAZARÉ?" 1ª Parte

ROTEIRO

1. CANTO INICIAL
2. INVOCAÇÃO À TRINDADE / ORAÇÃO AO ESPÍRITO SANTO
3. ORAÇÃO: - Leitura do texto: Jo 1, 35-50
- Reflexão silenciosa
- Meditação comunitária
- Intenções particulares / Oração litúrgica
4. CO-PARTICIPAÇÃO
Para você quem é o HOMEM DE NAZARÉ?
(Montar um mural com os elementos pedidos na tarefa de casa)
5. TEMA DE ESTUDO - "COMO CONHECER JESUS?"
Ler o texto anexo e trocar idéias a respeito.
6. TAREFA DE CASA
- Durante esta quinzena iremos ler e meditar, a cada dia, capítulos do "SERMÃO DA MONTANHA" (Discurso inaugural de JESUS), segundo roteiro anexo.
- Esta leitura deverá ser feita pelo casal, para que se relacione com DEUS também como casal.
- Cada pessoa vai ter uma parte (conforme sorteio feito na reunião), que deverá aprofundar mais, para colocar em comum na próxima reunião. (Vai procurar dizer o que JESUS lhe fala hoje através do tempo).

OBS.: Todos deverão se esforçar para ler todas as partes, que são riquíssimas e atuais. É como se JESUS nos falasse hoje.
7. AVISOS
8. CANTO
9. ORAÇÃO FINAL
10. LANCHE


Texto 14

COMO CONHECER JESUS

Jesus foi "o Enviado" do Pai, para realizar a união do homem com Deus. Ele veio com a dupla missão de nos salvar e nos revelar quem é o Pai.
A aceitação é adesão à pessoa e à mensagem de Jesus, é ato de fé, dom do Espírito Santo.
Mas para aceitá-Lo e aderir a Ele precisamos conhecê-Lo. O AT prepara a sua chegada e o NT o anuncia: é a Sua Própria História, o Seu porquê.
O Evangelho narrado em quatro versões nos apresenta esse Jesus que veio para ficar no meio de nós.
Os evangelhos foram escritos em uma época muito distante da nossa, numa outra cultura e idioma, mas é como uma carta de amor dirigida a cada um de nós e a qual precisamos decifrar. E é justamente pela freqüência constante à Palavra de Deus, num contato direto a cada dia, sob a inspiração do Espírito Santo, que se revelará para nós, pouco a pouco, a face de Jesus de Nazaré e através dele a face do Pai, do qual ele é a imagem.
Jesus anuncia a Boa Nova, durante quase 3 anos. Uma Boa Nova que é a mensagem de salvação e que não poderia deixar ninguém indiferente, tanto que despertou nas multidões o entusiasmo e nas autoridades a hostilidade. Era uma mensagem que O conduziria a morte e morte de cruz, mas Ele não teve medo de anunciá-la e de vivê-la até às últimas conseqüências.
Ele veio ao mundo através da Encarnação no seio de Maria, nascido na gruta de Belém, para desde cedo dar a sua lição de humildade. Viveu em Nazaré por trinta anos. Tempo suficiente de se preparar para a grande missão. E Ele se revelou ao mundo, chegando devagarzinho, silenciosamente, no meio das multidões, e com seu carisma foi cativando as pessoas. Ele era a Verdade e a Vida, o Caminho para se chegar ao Pai.
Jesus escolheu um jeito simples para se revelar: através da sua pregação (a Boa Nova). Um jeito diferente para convencer: através dos milagres. Um jeito fácil para ensinar: através de parábolas. Um jeito convincente para cativar: através das suas atitudes de vida.
A Boa Nova que Jesus pregou está toda contida no Discurso Inaugural, que fez, ao iniciar a sua vida pública. É o Sermão da Montanha. Nele está reunido tudo que se refere à entrada no Reino de Deus e se divide em três partes:
- As Bem-Aventuranças (que indicam quem pode entrar no Reino)
- As atitudes a serem tomadas ( que indicam como se entra no Reino)
- A ação concreta na busca da conversão (que indica a garantia da salvação).
O Sermão da Montanha passa a ser então para nós como um programa de vida que exprime cada vez mais claramente o Plano de Deus para nós e todas as dicas para a salvação, através de adesão do homem à Jesus Cristo. Ele se fez homem, para que pudesse compreender as nossas limitações lá no âmago do seu ser. Viveu como homem em tudo, menos no pecado. Teve as mesmas sensações, as mesmas
dores, inseguranças e até medo. Viveu também momentos de alegria, de partilha, de festa.
Nós estamos iniciando hoje a caminhada para Conhecer Jesus a partir da sua pregação conhecendo seus milagres aprofundando em suas parábolas, nos abastecendo dos seus atos e recebendo a gratuidade do seu amor.



Texto 15

SERMÃO DA MONTANHA (Discurso inaugural de Jesus)

1ª Parte: A NOVA LEI DE DEUS PROCLAMADA DO ALTO DA MONTANHA, QUE EXPLICA A ANTIGA LEI
Do alto da Montanha, Deus entregou ao povo no AT, o primeiro projeto dos 10 mandamentos. Foi o ponto inicial da caminhada. Agora, novamente do alto da Montanha, Jesus vai entregar ao povo o novo projeto que proclama o ponto final da caminhada e que explica assim o sentido do primeiro projeto. (Leia Mt 5, 1-2)
2ª Parte: O OBJETIVO ÚLTIMO DA LEI É A FELICIDADE DOS HOMENS
O ponto final que todos procuram alcançar é a felicidade e o bem estar. Para quem vai ser a felicidade? A resposta de Jesus a esta pergunta deixa muita gente infeliz e causa uma surpresa agradável para muitos outros que hoje são infelizes. Mostra que o olhar de Jesus sobre a vida não coincide com o nosso. (Leia Mt 5, 3-12)
3ª Parte: SAL DA TERRA! LUZ DO MUNDO!
Jesus tem um olhar diferente sobre a vida. O Cristão deve adquirir esse olhar e com ele enfrentar a vida. Sua ação será como sal na comida: modifica o gosto. Será como luz na escuridão: faz ver coisas. (Leia Mt 5, 13-16)
4ª Parte: O LONGO CAMINHO DA LEI EDUCADORA
Como adquirir o olhar de Jesus sobre a vida? É um longo e difícil caminho. A observância bem entendida da lei é que leva a isso. Temos que distanciar-nos do fariseu que vive em nós e que só olha seu objetivo e sua finalidade. Temos que acordar e perceber o grande ideal que está lá na frente o qual queremos alcançar. Enquanto não chegar até lá, ninguém pode dizer que observou plenamente o mandamento de Deus. Jesus faz ver que a tranqüilidade da consciência não vem do fato de você ter observado o mandamento, mas o fato de você estar a caminho do ideal que o mandamento aponta e que Jesus aqui explica. (Leia Mt 5, 17- 42)
5ª Parte: FRENTE A FRENTE COM O IDEAL: SER PERFEITO COMO O PAI CELESTE É PERFEITO
Não se iluda. O ideal é alto mesmo. Tão alto que você vai precisar de uma vida inteira para poder alcança-lo. A humanidade vai precisar de toda a sua longa história para poder realizá-lo. (Leia Mt 5, 43 - 48)
6ª Parte: A VERDADEIRA SEGURANÇA: VIVER COMO FILHO
Quem é fariseu fecha-se na observância do Mandamento, sem olhar o seu objetivo. Faz de Deus um patrão que paga salário, e não um pai que entrega tudo ao filho. Um filho não vive de salário, mas come junto com o pai na mesma mesa.
(Leia Mt 6, 1 - 18)
7ª Parte: TEM DE TER A CORAGEM DE CRER QUE DEUS É PAI
Quem é fariseu só acredita no seu próprio esforço e quer comprar o céu e a felicidade em prestações. Mas a felicidade que Deus oferece não se compra como se compra uma casa. Quando o fariseu percebe isso ele começa a construir, ele mesmo a sua felicidade, e quer servir a Deus e ao diabo ao mesmo tempo. Isso não dá. Tem de optar. (Leia Mt 6, 19 - 24)
8ª Parte: A VERDADEIRA FELICIDADE NASCE DE DENTRO DO HOMEM
A felicidade que todos procuram nasce é de dentro: do amor que você recebe, da amizade e da bondade que você sente e recebe de Deus e dos outros. Jesus pede que a gente procure a felicidade por esse lado, pois a felicidade não nasce só pelo fato de se ter roupa bonita e comida gostosa. Quem procurar a felicidade visando só as coisas materiais não vai poder encontrá-la, pois tudo que é material um dia acaba. (Leia Mt 6, 25 - 34)
9ª Parte: ATITUDES NOVAS FRENTE AOS OUTROS E FRENTE A DEUS
Quem sabe encontrar o seu lugar frente a Deus será mais humilde e compreensível frente aos outros. Sabe que só Deus é bom e será brando no julgamento aos irmãos. Terá mais confiança e coragem de dirigir-se a Deus na oração. (Leia Mt 7, 1 - 11)
10ª Parte: A REGRA DE OURO
Um resumo bem prático dos 10 Mandamentos é apresentado aqui por Jesus, numa fase bem curta, mas cheia de conteúdo. É o centro para o qual se orienta todo resto. (Leia Mt 7, 12)
11ª Parte: NÃO SÓ OUVIR, MAS PRATICAR
Não basta saber as coisas. Não basta reunir-se e estudar juntos o Sermão da Montanha. É necessário decidir-se e entrar pelo caminho. (Leia Mt 7, 13 - 23)
12ª Parte: A CASA CONSTRUÍDA NA ROCHA
Nesta parte final do discurso Jesus fala com a verdadeira autoridade e não deixa dúvida a respeito da importância das coisas que Ele acaba de dizer. (Leia Mt 7, 24 - 29)