EXPERIÊNCIA COMUNITÁRIA

2ª REUNIÃO: MOTIVAÇÃO - "A HISTÓRIA DE UM CASAMENTO"

ROTEIRO

1. CANTO INICIAL
2. INVOCAÇÃO À TRINDADE / ORAÇÃO AO ESPÍRITO SANTO
3. ORAÇÃO: - Texto de meditação (Mt 19, 3-6)
- Oração pessoal baseado no texto
- Intenções particulares
- Oração litúrgica
4. CO-PARTICIPAÇÃO
"RITO SACRAMENTAL DA LITURGIA DO CASAMENTO" (texto 3)
5. TEMA DE ESTUDO
(sobre a tarefa para casa proposta na última reunião)
6. TAREFA PARA A PRÓXIMA REUNIÃO
Refletir sobre o Tema "REDESCOBRIR O AMOR" (texto 4)

Já tivemos oportunidade de colocar para o grupo o porque nos casamos, o nosso projeto inicial de casamento. Agora é chegada a vez de cada um refletir sozinho, procurando a cada dia anotar um ponto que se lembrar, para poder responder ao questionamento:
"QUEM É MEU CÔNJUGE?" Seria interessante que cada um fizesse sozinho as anotações e não deixasse que o cônjuge tomasse conhecimento antes da reunião. Deverá ser uma agradável surpresa. Todos nós temos pontos negativos e positivos e como estamos na busca de maior unidade procuremos nos conhecer melhor. Muitas vezes a imagem que temos de nós mesmos não é a que o outro tem e é bom esse confronto de idéias.

7. AVISOS
8. CANTO
9. ORAÇÃO FINAL
10. LANCHE

Texto 03

RITO SACRAMENTAL DA LITURGIA DO CASAMENTO

RITO SACRAMENTAL

Sacerdote: - Elisa e André, vocês vieram para que na presença do padre e dessa comunidade cristã, o amor de vocês seja marcado pelo Cristo com o sinal sagrado. O Cristo abençoa este amor.
Sacerdote: - Ele já consagrou vocês pelo Batismo. Agora vai enriquecê-los pelo sacramento do Matrimônio, para que assim sejam fiéis um ao outro e a todos os seus deveres. Por isso eu lhes pergunto, perante Deus e a Igreja aqui reunida:
Sacerdote: - É de livre e espontânea vontade que vocês vão unir-se em Matrimônio?
Noivos: - SIM
Sacerdote: - Abraçando o Matrimônio, vocês vão prometer fidelidade um ao outro. É por toda vida que o prometem?
Noivos: - SIM
Sacerdote: - Vocês estão dispostos a receber com amor os filhos que Deus lhes confiar, educando-os no amor de Cristo e da Igreja?
Noivos: - SIM
Sacerdote: - Se vocês já refletiram no que significa o Matrimônio cristão e se vocês já estão conscientes de suas responsabilidades, então, dando um ao outro a mão direita manifestem o seu consentimento diante de Deus e da Igreja, aqui reunida, repetindo comigo:
Noivo: - Eu, André, recebo você Elisa por minha mulher, e lhe prometo ser fiel, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, amando e respeitando você, todos os dias da minha vida.
Noiva: - Eu, Elisa, recebo você André por meu marido, e lhe prometo ser fiel, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença. amando e respeitando você, todos os dias da minha vida.
Sacerdote: - Perante os presentes, em nome de Deus e da Igreja, eu os declaro marido e mulher: Deus confirme esse compromisso que acabam de assumir, e derrame sobre vocês as suas bênçãos! O que Deus uniu, o homem não separe!
Todos: - Amém.

BÊNÇÃO DAS ALIANÇAS

Sacerdote: - Que Deus Pai Todo Poderoso abençoe estas alianças que vocês entregaram um ao outro em sinal de amor e fidelidade.
Noivo: - Elisa, receba esta aliança em sinal do meu amor e da minha fidelidade. Em nome do Pai, do Filho e do Espirito Santo
Noiva: - André, receba esta aliança em sinal do meu amor e da minha fidelidade. Em nome do Pai, do Filho e do Espirito Santo

BÊNÇÃO NUPCIAL

Sacerdote, pais e padrinhos:

Pai Santo Criador do Universo, fizeste o homem e a mulher a vossa imagem e semelhança e quisestes cobrir de bênçãos a sua união. Que a vossa bênção desça sobre estes vossos filhos. Elisa e André. Que eles encontrem sempre a felicidade, dando-se um ao outro. Adornem de filhos o seu lar, enriqueçam a Igreja com eles e sirvam a todos de exemplo. Na alegria vos louvem e na tristeza vos procurem. Sintam sempre vossa proteção e assistência em todos os instantes de suas vidas. Amém.

ORAÇÃO DE DESPEDIDA


Sacerdote: - Meus amigos Elisa e André, a celebração do Matrimônio terminou. Agora começa sua missão. O amor de vocês faz nascer um novo lar. De agora em diante nenhum de vocês poderá ser feliz sozinho. Sejam felizes! Que seu amor seja fecundo. Que o casamento de vocês seja um testemunho e um sinal de união de Cristo e da Igreja. Que vocês procurem ser na comunidade onde vivem um sinal de justiça, de paz, de amor e fidelidade.


Texto 04

REDESCOBRIR O AMOR


Podemos afirmar que o amor é o sentimento mais antigo, mais debatido, mais cultivado e cobiçado do mundo, porque ele é a fonte da vida e o sabor da felicidade. E o amor conjugal é dos amores o mais complexos, porque ele nunca está definitivamente construído, e por isto mesmo deve ser cultivado ao longo de toda a vida a dois, percorrendo um lento e firme processo de amadurecimento.
É através do amor conjugal que brota a vida dos filhos e se expande no amor familiar, que surge em conseqüência dessa nova comunidade: o casal. Esse novo amor baseia-se no inter-relacionamento pessoal, que valoriza a identidade e a integridade da família na busca de felicidade e solidariedade.
Um dos aspectos do amor conjugal é o conhecimento da pessoa amada, porque ninguém ama o que não conhece e esse conhecimento se faz a cada dia porque o ser humano é novo a cada dia.
A história, a sociedade e Deus não param de transformar-nos, de moldar-nos. Considerar, portanto o outro pronto e acabado é tirar-lhe o direito de se modificar, de crescer, de transformar-se.
Ir ao encontro do outro armado de idéias já prontas a seu respeito é jamais encontrá-lo, porque assim não lhe daremos a oportunidade de revelar-se. (Para que pedir a opinião dela se já sei que ela não entende de negócios? Falar para ele do meu problema? Para que? Já sei que sua resposta é a de sempre: considera tudo bobagem, invenção minha, preocupação de quem não tem o que fazer). E assim cada um vai vivendo uma vida isolada, não partilhada.
Na relação marido-mulher não pode haver isolamento, solidão, egoísmo, silêncio de gestos, de palavras, de almas. É preciso participação, vida, sempre buscando abrir o coração nas coisas mais simples e corriqueiras, para que não se instale entre eles a rotina, a monotonia. As coisas alegres e tristes, as esperanças e decepções devem ser partilhadas e vividas intensamente a dois. Foi esse um dia o nosso propósito, o nosso projeto de vida.
Reconhecer que o outro fez um esforço para ser melhor, para agradar, merece sempre um elogio, porque o elogio é a base da felicidade. É a oportunidade de valorizar o outro nas pequenas coisas, para que ele se sinta forte e amado. É a arma para descontrair e desencadear o sorriso, o riso, a alegria. Não podemos também deixar murchar o afeto, o carinho, as manifestações de amor, pois elas são capazes de destruir as tensões do dia a dia.
Ir ao encontro do outro ansioso por conhecer suas experiências vividas naquele dia é partilhar a vida. E ninguém é tão vazio que não tenha novidades para contar porque o próprio hoje é novidade. Precisamos enfim valorizar a experiência vivida pelo outro, mesmo que seja dentro das quatro paredes da casa.
Somos diferentes sim, pelo simples fato de sermos homem e mulher. É preciso um esforço constante para aceitar essas diferenças e cultivá-las a fim de que delas possam nascer flores, sempre prenúncio de frutos...
A harmonia conjugal é o que buscamos desde o primeiro instante de nossa vida a dois e ela não acontece quando há igualdade de pensamentos e de atitudes. Tal identidade só faz com que a personalidade do mais fraco seja massacrada. O casamento deve buscar o desabrochar de cada um, para haver o desabrochar do casal e assim acontecer o "encaixe" perfeito, onde cada um cresce naquilo que tem e é, procurando sempre, por amor, vencer suas limitações. E será com a ajuda do outro que isso se tornará possível, pois muitas vezes não somos capazes de descobrir sozinhos nossas fraquezas, porque o orgulho nos impede.
Não vivemos mais na época em que o homem era o "chefe" da casa e a mulher e os filhos os "súditos" que lhe deviam obediência incondicional. Nossa sociedade hoje, felizmente, apresenta um modelo de família, onde todos são importantes, cada um na sua função e no seu papel, com direito de ser feliz e dever de fazer o outro feliz. O homem e a mulher hoje se complementam. Não são mais feitos "um para o outro", mas "um pelo outro".
Onde não há opiniões diferentes não há crescimento, porque a riqueza do ser humano está em ser único, diferente,... Mas para haver harmonia diante das diferenças é preciso buscar e cultivar o que nos une e descobrir para abolir o que nos separa.
Assim como Deus é Um, mesmo sendo constituído de Três Pessoas, cada um de nós é uma única pessoa, que no casamento busca a unidade da pessoa conjugal, que é o casal. Esse casal é formado justamente das diferenças do homem e da mulher que alicerçadas no amor se integram, unindo forças num projeto de vida, aquele projeto que faz "o homem deixar pai e mãe e unir-se à sua mulher e formarem uma só carne".
Esse "formar uma só carne" se fortalece na relação sexual, que enforma o ser humano por inteiro se ela for vivida no mistério do amor conjugal, no respeito, na entrega sem barreiras e sem tabus e acima de tudo na fidelidade, para assim, poderem a cada dia redescobrirem as maravilhas do amor.
Para finalizar é bom refletirmos nos dizeres de Bernard Shaw:
"O homem mais inteligente que conheço é o meu alfaiate, pois toda vez que o procuro tira-me novas medidas, enquanto que outros me mediram uma vez por todas".
• Reflitam a dois este texto descobrindo as riquezas que ele tem e procurem destacar tudo o que se refere à realidade de vocês para na reunião podermos trocar idéias e redescobrir o nosso amor